quinta-feira, 5 de maio de 2016

Nise: O Coração da Loucura

Recomendo o filme brasileiro "Nise: O Coração da Loucura", com Glória Pires e grande elenco, com direção de Roberto Berliner, em cartaz nos cinemas.

O filme retrata com doçura e firmeza a trajetória da psiquiatra Nise da Silveira, médica arretada de Alagoas, que enfrentou com maestria o machismo dos anos 40, em um ambiente dominado pela insanidade dos seus colegas médicos.




Basicamente o filme acontece dentro do hospital psiquiátrico de Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, hospital esse onde as pessoas vitimadas com distúrbios mentais de toda natureza eram abandonadas por seus familiares.



As cenas chocam pelo realismo e pelas mazelas humanas, retratadas sem melindres, mostrando como esses pacientes eram marginalizados pela sociedade e pelos médicos.



A psiquiatria  é uma especialidade médica que evoluiu muito, mas a duras penas, submetendo indevidamente muitas pessoas a choques e lobotomias desnecessárias, mas quem se importava com pacientes marginalizados e abandonados?

Dra. Nise da Silveira se importava e muito com cada um deles e fez a sua parte, revolucionando o tratamento psiquiátrico, introduzindo o tratamento humanitário com a ajuda da arte, explorando o inconsciente dos seus pacientes, tratados como clientes.



Vale a pena ver o filme e pesquisar um pouco mais sobre a vida dessa mulher, que nos deixou em 1999, mas não sem antes deixar um legado infinito.

* Fotos: Extraídas da página do Facebook.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Nada Fofo

Fantástico o trabalho de conscientização desenvolvido pela ONG PEA, sobre a criação de cães para comercialização.

O vídeo lançado no último dia 30/04 mostra o quanto pode ser "Nada Fofo" a compra de filhotes em lojas e canis especializados.



O vídeo foi produzido pela agência de publicidade Leo Burnett, mostrando com certo ar lúdico os bastidores de todo processo de criação de cães. A ideia de usar bonecos animados manualmente dá o tom lúdico, sem perder o foco da realidade.

Muitas pessoas realmente nem imaginam o que está por trás da compra daquele filhotinho lindo nas lojas, feiras e canis, sendo conivente com as práticas abusivas de produção em massa de filhotes.

Quando se compra um filhote, não é possível ter certeza sobre sua procedência e práticas adotadas pelo criador, então, você assume o risco de toda essa cadeia de maus tratos e abusos, #nadafofo.

Há milhares de animais abandonados à espera de adoção consciente, há inúmeras ONGs que atuam nesse segmento e fazem a ponte entre você e o animal abandonado, não é preciso pagar por filhotes.

Entre os animais abandonados não há apenas os sem raça definida, gentilmente conhecidos como vira latas, há muitos animais de raça também, então se a desculpa para comprar era essa, acabou, mesmo porque todos os animais merecem o mesmo bom tratamento, independente da sua raça, cor e sexo.

Compartilhe essa campanha Nada Fofo, visite o site, faça a sua parte.



terça-feira, 3 de maio de 2016

Serra da Bocaina


Que tal conhecer essa região adorável e de clima agradável?

A Serra da Bocaina fica na divida dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, composta por rica vegetação, fauna, flora, hidrovias, etc., proporcionando ao visitante experiência incríveis.

É ótima para quem curte trilhas, sejam de moto, carro, bicicleta ou caminhando, tem paisagens de encher os olhos e ainda por cima é uma região gastronomicamente apetitosa.

A Serra da Bocaina abrange a parte alta e a parte baixa, a primeira na parte alta da Mata Atlântica, no município de São José do Barreiro (SP) e a parte baixa, no litoral, em Paraty (RJ).



Conheci a parte alta, ficando hospedada em São José do Barreiro, cidade de 4 mil habitantes, no Vale do Paraíba, nas proximidades da divisa do estado de São Paulo.

A cidade foi fundada no século XVII, como ponto de passagem dos tropeiros que faziam a viagem entre as Minas Gerais e os portos de Mambucaba e Paraty, já n o litoral, para escoar o ouro extraído. 

O então arraial era conhecido como "Barreiro", não entendeu porque, deixa chover que você entenderá!!!



Lá também existia a pequena capela de São José, logo o arraial foi elevado a município, em 1859, passando a se chamar São José do Barreiro.

A cidade também viveu tempos gloriosos na época do café, tendo ainda belas fazendas para contar história e fazer belas fotos.



O povo é hospitaleiro e acolhedor, aquele misto entre interior paulista e minas, dando um toque todo especial a quem visita a cidade.

Atualmente a economia é baseada no turismo ecológico e na agricultura.

Ainda tem o maravilhoso Parque Nacional da Serra da Bocaina, com sua área preservada, com trilhas belíssimas, cachoeiras e vegetação de tirar o fôlego.



A estrada que leva o visitante de São José do Barreiro ao PNSB é a Francisca Mendes Ribeiro, é uma bela serra sinuosa, com trechos alternando entre terra, brita e asfalto, mas sem traumas é possível fazer seus não mais que 30 km, curtindo a vista.



A impressão que tive ao fazer o percurso completo entre o PNSB e SJB era de estar nas estradas européias, mas nos trópicos. Vale a visita.

Se tiver um veículo 4x4, souber navegar e curtir belas trilhas, esse é o lugar!!! Cortar fazendas, estradas rurais, subindo montanhas, atravessando rios e ainda se divertir muito, não é para todos.



No fim do dia ainda é possível curtir uma cerveja artesanal no Rancho São José do Barreiro, na praça da igreja, comendo deliciosos petiscos e fechar com chave de ouro a noite com um belo brigadeiro.



A região possui alambiques, laticínios, produção de biscoitos caseiros, cervejaria artesanal e muito mais.

Ah, em noites e lua cheia é possível apreciar a noite clara e curtir a vida a dois...


* Fotos acervo pessoal.