quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Vou-me embora pra Pasárgada!!!

Outubro nem acabou e muitas vitrines já estão decoradas para o Natal, me impressiona isso, é uma campanha massiva e longa pelo consumismo, até o Natal chegar de verdade já estaremos todos cansados dele !

Tudo bem que o comércio está com suas vendas em queda livre, mas é demais para o meu pobre entendimento.

O noticiário também está difícil de encarar, é só corrupção, guerra na Síria, crise de refugiados na Europa, eterna briga entre palestinos e judeus, instigando a infantada, explosão em caixas eletrônicos Brasil a fora, CPI da Petrobrás terminando em pizza, nem sei mais que versão estamos da Operação Lava Jato, impeachment que não sobe nem desce, taxa de juros elevada, inflação em alta e nem abriram a caixa preta do BNDES ainda...

Isso tudo me faz lembrar do Ultraje a Rigor:

"Vou ver o jornal
Quem sabe me deixam
Ver a situação geral
E é eleição, é inflação
Corrupção e como tem ladrão
E assassino e terrorista
E a guerra espacial
Socorro!..."




Não tá fácil não, mas poderia estar muito pior ou muito melhor? Sem dúvida, mas ficar alimentando a crise com reclamações, instigando o ódio, etc. e tal, não vai melhorar a situação.

Exerça a sua cidadania de forma consciente, as eleições municipais estão chegando, é uma ótima oportunidade para eleger representantes melhores, se bem que as opções não ajudam em nada, concordo !!!

Lamentavelmente a classe política é um reflexo do povo, enquanto o brasileiro não melhorar enquanto cidadão, não teremos políticos melhores #FATO !

Vou-me embora pra Pasárgada!!!




quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Queridos Professores da Minha Vida...

Dia do Professor, um feriado escolar tão desejado pelos estudantes, mas uma data simbólica que vem perdendo o valor com o passar dos anos, assim como a profissão.

É lamentável que o brasileiro não valorize o professor, não venha me dizer que valoriza sim e que o problema é de política pública, afinal de contas, quem elege ?

Sem momento nostalgia, mas sou do tempo que escola boa era escola pública e não sou tão balsaquiana assim.

Tenho excelentes lembranças das minhas primeiras professoras, tia Claudimar foi a grande responsável por incentivar o hábito da leitura, despertado pelo meu pai, que mesmo trabalhando no turno noturno, sempre encontrava um tempinho para ler estórias infantis pra mim.

A tia Claudimar era uma senhora para aquela criança de 6 anos que eu era, cheia de sabedoria para transmitir com muito carinho e paciência, pois a criançada não era fácil.

Depois veio a tia Leda, igualmente sábia, que me acompanhou por dois anos consecutivos, nas antigas 1ª e 2ª séries do primário. Amava a tia Leda, mulher alta, loura, esguia e com ar sério, um exemplo de vida.

Vieram outras grandes professoras, a tia Miriam, zen, meio hippie, cheia de energia e sorridente, tão carinhosa e paciente. 

Tia Miriam morava perto de casa, sempre passávamos pela frente da casa dela pra falar um oi e ela sempre nos recebia com o mesmo sorriso aberto, mesmo diante de tantos problemas que ela enfrentava.

Ah, minha vizinha Aydê, professora de inglês, despertava em mim aquele fascínio pelo novo, por aquele idioma que me parecia impossível de aprender, mas não foi, graças não apenas ao meu interesse, mas pela paciência dela em responder  às minhas perguntas curiosas e impertinentes de "como é isso em inglês?", " como é aquilo?"...

Já no ginásio o mundo se abriu, as tias se foram e tínhamos as tão esperadas Dona, guardo especial carinho por algumas delas.

A D. Ermelinda, professora de Ciências, ela era um show, além de loura e bonita, pra gente era uma cientista!!! Com ela descobri muita coisa que levo até hoje comigo.

A D. Tânia, professora de Matemática, aí meu Deus, detestava Matemática, mas sobrevivi graças a sua paciência em repetir milhões de vezes os exercícios comigo. Ela era muito divertida e simpática, sempre de bom humor, mesmo com aquela turma de quase 40 alunos.

A D. Zilda, professora de Português, temida e odiada por muitos e adorada por poucos, como eu, que sempre gostei da matéria e me dava bem. Ela também era da vizinhança e mesmo com aquele ar austero e bravo, sempre dava um sorriso sincero.

Já no colegial a vida mudou completamente, um choque de realidade se abateu sobre mim, que fui para uma escola particular, porque a deterioração do ensino público começou a se fazer presente.

Nessa fase outros ótimos professores passaram pela minha vida.

Professor Dênis, louco, simpático, amado, despojado, era o professor de Desenho Geométrico, confesso que da matéria não lembro nada, mas do Dênis, ah sim.

O Carlão, professor de Física, outra matéria que não me encantava, mas aprendi muito com ele, era o professor bonitão sem ser bonito, gerava um encantamento natural nas meninas, mas confesso que não era desse time. Há alguns anos somos vizinhos, moramos no mesmo condomínio, sempre o vejo correndo por aí.

A D. Sueli, também professora de Física, o terror da moçada, simpática, mas dura, brava, mas meiga no fundo, sofri com eles, mas sobrevivi.

Tantos outros professores do colegial marcaram a minha vida, mas impossível enumerar aqui.

No cursinho pré vestibular a gente descobre que a vida estudantil pode ser mais tudo...

O  Noel, professor de Literatura, adorava as aulas dele, apostávamos todas as vezes e eu ganhava sempre um refri ou um salgado, fácil pra quem curte Literatura como eu. Os desafios eram tão divertidos que incentivávamos um ao outro o tempo todo, com isso o Noel acabava me emprestando os livros incomuns da época, sorte minha.

Universidade, outro mundo, literalmente, ali muitos outros professores marcaram a minha vida, os principais são Dr. Renan e Dr. Paulo de Tarso, meus queridos mestres, em quem sempre busquei inspiração para seguir nessa dura profissão.

Eles me acompanharam por vários anos, mesmo depois de graduada, pessoas íntegras, excelentes profissionais, exemplos de vida.

Outros tantos cursos fiz e ainda faço, idiomas, pós graduação, automobilismo, etc., etc....e os professores continuam marcando a minha vida.

Atualmente a Janaína, minha professora de Francês, me ajuda e inspira a aprender o idioma e a cultura francesa, é muito divertido e instigante ter uma pessoa que ama ensinar como professora.

Enfim, que os bons professores continuem marcando presença na minha vida e na de todos vocês, porque estudar é sempre preciso e aprender também.

Feliz Dia dos Professores!!!!