terça-feira, 14 de julho de 2015

Parabéns Campinas: 241 anos

Campinas foi fundada em 14 de julho de 1774 e hoje é o seu aniversário, então parabéns à cidade pelos 241 anos de vida.

Campinas é uma cidade referência no interior paulista, com forte vocação na área de educação universitária, é um pólo de tecnologia reconhecido, atraí brasileiros e estrangeiros, mas tem muito a conquistar, ainda.

Uma cidade com economia dominante na região, mas com uma gestão política duramente criticada pela população por força da corrupção, muito embora a cada eleição as figurinhas não mudem muito, o que mostra que a massa crítica não é a maioria do eleitorado da cidade.

Geograficamente fica muito bem localizada, cercada por estradas que não apenas escoam produção, como são reconhecidamente as melhores do país. Fica pertinho da cidade de São Paulo, o que permite o contato direto com a capital do estado.




Tem dois times de futebol tradicionais, sendo o Guarani um dos campeões do campeonato brasileiro e a Ponte Preta um dos times mais antigos do país.

Enfim, uma boa cidade para se viver, que acolhe imigrantes de todas as regiões, que escolhem a cidade para viverem e desenvolverem seus negócios.

Mais consciência ao povo de Campinas, para que nas próximas eleições exerçam com rigor e sabedoria seu direito de voto e ao executivo e legislativo, muito respeito com essa cidade, pois ela já tem 241 anos e merece continuar crescendo saudável.

Para celebrar o aniversário da cidade, a Prefeitura dispõe de vasta programação cultural e gastronômica, ainda teremos pela frente o seguinte:

Dia 18/07:  "Boteco na Estação": Músicas e comidinhas na antiga estação de trem. As atrações musicais serão dos grupos Tomá na Banda e City Banda, ambos tradicionais no Carnaval da cidade.
Local: Estação Cultura “Prefeito Antonio da Costa Santos”. Praça Marechal Floriano Peixoto, s/n – Centro
Horário: das 13h às 19h
Entrada: gratuita

Dia 19/07:  "Circulando por Campinas": Projeto de circulação do espetáculo de rua circense “Circulando por Campinas” da Cia Los Circo Los, com direção de Ésio Magalhães e atuação de Rodrigo Mallet e Vitor Poltronieri.
Local: Lagoa do Taquaral – portão 01. Av. Heitor Penteado – Taquaral
Horário: das 11h às 13h
Entrada: gratuita

Dia 31/07: "Food Truck nas Estrelas": Nesta sessão, o astrônomo Júlio Lobo explica os mistérios da Blue Moon (Lua Azul) acompanhado de comidinhas dos food trucks.
Local: Observatório Municipal de Campinas “Jean Nicolini”. Estrada das Cabras – Distrito de Joaquim Egídio
Horários: das 17h às 22h30
Ingressos: de R$ 2 a R$ 4

"Seresta na Praça": A edição da Seresta na Praça tem a apresentação musical de Dona Zaíra
Local: Praça Carlos Gomes. Av. Irmã Serafina, Centro
Horário: das 19h às 23h
Entrada: gratuita

Lenine show Campinas













* Foto: divulgação: Prefeitura de Campinas

Dia 01/08:  "Concerto especial da Orquestra Sinfônica de Campinas com Lenine": A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas apresenta um concerto especial junto com o cantor Lenine. Com regência do maestro titular Victor Hugo Toro.

Local: Concha Acústica do Taquaral. Av. Heitor Penteado – Taquaral
Horário: 18h
Entrada: gratuita

* Fonte: assessoria de imprensa da Prefeitura de Campinas

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Food Truck nas Estrelas

Você que está na região de Campinas pode aproveitar a programação do Observatório Municipal de Campinas "Jean Nicolini", também conhecido por Observatório das Cabras ou de Capricórnio, que terá além das atrações astronômicas, um festival gastronômico, com a na moda food truck.

Hoje, 09/07/15, a partir das 17h acontece o tema "Safári Astronômico" comandado pelo astrônomo Julio Lobo, que conduzirá o visitante pelas estrelas, trazendo curiosidades e lendas sobre a Constelação Cruzeiro do Sul.

Se as condições climáticas ajudarem, poderão ser observadas a olho nu e pelos telescópios as estrelas Alfa Crucis e Ruy Crucis e o aglomerado "Caixinha de Joias".

É bom lembrar que o acesso ao Observatório pode inibir alguns, mas vale a pena a visita, lembre-se também que a temperatura por lá é menor do que a da região central, então vá bem agasalhada.

A programação será a seguinte:


09/07, das 17h às 22h30 - "Safári Astronômico" 
12/07, das 17h às 21h00 - "Noite das Estrelas"
17/07, das 17h às 22h30 - "Safári Astronômico"
19/07, das 17h às 21h00 - "Noite do telescópio"
31/07, das 17h às 22h30 - "Blue moon"

Ingressos para entrar no Observatório: R$ 4 (inteira), R$ 2 (meia-entrada) e gratuita para idosos e crianças até 6 anos.

"Food Truck nas Estrelas" 
Local: Observatório Municipal de Campinas “Jean Nicolini”- Monte Urânia, Serra das Cabras, s/n, Joaquim Egídio – Campinas. (19) 3298-6566
Data: 9, 12, 17, 19 e 31 de julho
Horário: das 17h às 22h30

Foto: Carlos Bassan - Prefeitura de Campinas (divulgação)



quarta-feira, 8 de julho de 2015

Julho Amarelo

Julho foi escolhido como o  mês destinado às ações de prevenção e controle das hepatites virais e, por todo o país, haverá comemorações e ações de prevenção a esses agravos, destinadas a alertar e a estimular a realização de testes para o diagnóstico das hepatites.

A data escolhida pela OMS como o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais é 28 de julho, a iniciativa é brasileira e as ações preventivas não acontecerão apenas no dia 28, mas durante todo o mês de julho, por todo o país.

A cidade de Santos/SP trouxe uma vasta programação para o Julho Amarelo,  com importante medida tomada com vistas à detecção da doença. Quem passar pelas consultas médicas nas policlínicas do município será submetido aos exames Anti HCV, AntiHBc Total, HBsAg e Anti HBs. A testagem sorológica na rede pública de saúde agora é obrigatória, conforme estabelece a Lei nº 3.156/2015. 

Serão prioridade os pacientes na faixa etária a partir de 40 anos, considerada de maior prevalência. “Essa medida é fundamental, pois o tratamento, quanto mais cedo for iniciado, dá mais chance de cura ao paciente e menos riscos de complicações”, afirma o médico infectologista Marcos Caseiro, da Secretaria de Saúde.
Três novos medicamentos para tratamento da hepatite C, que aumentarão em mais de 90% a chance de cura da doença, devem estar disponíveis na rede municipal de saúde a partir de agosto. São eles: sofosbuvir, simeprevir e daclatasvir, importados dos Estados Unidos e já aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 
Eles serão incorporados nas medicações gratuitas fornecidas em todo país pelo Ministério da Saúde. Sem efeitos colaterais, terão média de três a seis meses de tratamento.
A Secretaria de Saúde e a ONG Grupo Esperança também farão ações em atenção à Semana de Prevenção Contra a Hepatite e o Mês Julho Amarelo. Ao longo do mês, prédios públicos, como o Paço Municipal e a Prodesan, estarão iluminados de amarelo. Empresas privadas também vão aderir à iniciativa. A partir do dia 21, serão realizados testes rápidos, caminhada, curso de atualização, missa em memória às vítimas de hepatites virais e peça teatral. As ações também celebram o 28 de julho, Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais.
O Estado do Pará também terá uma vasta programação voltada às ações preventivas contra as hepatites virais.
A prevenção ainda é o melhor remédio, mas no Brasil ainda nao há a utilização de testagem em larga escala, dificultando o diagnóstico precoce dessa doença silenciosa, que na maioria das vezes quando diagnosticada tardiamente, o paciente já está em estágio avançado da doença, com alterações hepáticas muitas vezes irreversíveis, levando-o para a fila dos transplantes de fígado.
Nos países de primeiro mundo os testes são realizados já na fase de Atenção Básica, quando o paciente passa pelo sistema público de saúde, aumentando as chances de sucesso no tratamento.
Vamos participar durante o Julho Amarelo, divulgando a campanha e disseminando a informação, além, lógico, de solicitar ao seu médico, mesmo que do sistema privado, o teste.
Faça sua parte.

terça-feira, 7 de julho de 2015

I Festival Santos Café

Os paulistas terão nessa semana o feriado de 9 de julho, quando se comemora a Revolução Constitucionalista de 1932, proporcionando um fim de semana prolongado para aqueles que podem emendar a sexta-feira, é lógico.

Então se você gosta de pegar a estrada, de apreciar um bom café e de uma boa programação cultural e gastronômica, aproveite o  I Festival Santos Café, que a partir do dia 9 de julho vai transformar a cidade na capital do Café do Brasil. 
         
A programação é totalmente gratuita, atendendo ao público de todas as idades e ocupará o Boulevard da Rua XV, Praça Mauá, museus do Café e Pelé, o edifício da Construtora Phoenix, Estação do Valongo e a Casa da Frontaria Azulejada, sempre das 10h às 21h, de quinta a sábado, e até às 17h no domingo.

A cidade se preparou para receber os visitantes, com os locais todos sinalizados especialmente para o Festival e vários restaurantes do Centro Histórico participarão do evento, oferecendo almoços durante os dias do Festival, com sobremesas especias, feitas à base de café. 


Conheça os restaurantes participantes e programe-se:
  • Allegra Café: Pça. Visconde de Mauá, 5
  • Almoço: Rua XV de Novembro, 45 
  • Atami: Rua XV de Novembro, 100
  • Bodegaia: Rua XV de Novembro, 26 
  • Café Mauá: Pça. Mauá,23
  • Estação Bistrô Restaurante-escola: Largo Marquês de Monte Alegre nº2
  • Jamblam:  Pça. Mauá, 33
  • Largo do Café: Rua XV de Novembro, 80
  • Porto Brasil: R. XV de Novembro, 1
  • Du Maria: Rua Frei Gaspar, 40 e 
  • Tasca do Porto: R. XV de Novembro, 112


Os tradicionais  Bonde Café e  Bonde Brincar contarão com o reforço dos walking tours, passeios de 40 minutos com monitoria de guias de turismo, que relembrarão importantes prédios e aspectos históricos do grão que inseriu Santos no cenário econômico mundial. Os passeios serão realizados em quatro horários (10h, 12h, 14h e 16h), saindo da Praça Mauá.


A Casa da Frontaria Azulejada será transformada em um espaço artístico diferenciado. Dentre os vários artistas que apresentarão seus trabalhos inspirados no café, o caricaturista Cléber Nunes produzirá, ao vivo, retratos e estilizações utilizando café como tinta.

Mais atrações e locais:

  •  Boulevard da Rua XV - ‘Corredor cultural’ do evento e palco das principais atrações musicais, apresentará artistas locais e de projeção nacional interpretando blues, MPB, jazz, samba, choro e bossa nova. As principais atrações musicais serão o cantor Dom Paulinho Lima, Abbey Road (cover do The Beatles) e a Tradicional Jazz Band. Da programação, constam ainda o Ballet da Cidade de Santos, grupo Dança de Rua do Brasil e Estátuas Vivas, além de intervenções de grupos de teatro.
  •  Museu do Café (Rua XV de Novembro, 95)  Cursos de café expresso e de ‘Latte Art’ (desenhos com leite em bebidas à base de espresso) para adultos, e contação de histórias e curso de minibarista para os pequenos. Durante os quatro dias do festival, haverá também visitas monitoradas.





  •  Museu Pelé (Largo Marquês de Monte Alegre, 1) - Oficinas gastronômicas com chefs de cozinha e baristas, apresentando diversas técnicas para o preparo de receitas à base de café, e oficinas literárias, com a produção de haicais (poemas de origem japonesa) tendo como tema 'Café, a poesia em pequenas doses...'. A proposta é levar o público a uma verdadeira viagem pela história dos imigrantes japoneses, que vieram ao Brasil para trabalhar em lavouras de café, e a ter contato com diferentes tipos de grãos.

  • Casa de Frontaria Azulejada (Rua do Comércio, 93) 28 artesãos, artistas plásticos, joalheiros, antiquários e designers exporão trabalhos enfocando o café e as belezas de Santos. Dentre os artistas, Mônica Figo, autora de vários trabalhos inspirados na cidade; a designer Sandra Ceolin, responsável por jóias com conhecidas formas geométricas locais, a exemplo das muretas da praia; e a ceramista Maria Angélica Dias.
  • Estação do Valongo (Largo Marquês de  Monte Alegre) – Transformada em ‘Espaço Kids’, contará com brinquedos, maquiagem infantil e brincadeiras, além da presença do personagem Indiana Jones nos passeios do Bonde Brincar. Nas proximidades, também haverá exposição de carros antigos.
  • Construtura Phoenix  (Rua XV de Novembro, 141)  Abrigará a exposição fotográfica ‘Do café ao cafezinho’, que mostra diferentes etapas da produção, colheita e transporte do café, assim como da preparação da bebida.


 Se você não está disposto a fazer um bate e volta para Santos, ainda dá tempo de se hospedar na cidade, onde 5 hotéis preparam pacotes especiais para o evento, são eles:

  • Cosmopolitan Praia Flat, 
  • Ibis, 
  • Mendes Plaza, 
  • Mercure e 
  • Parque Balneário Hotel

O Festival também terá uma programação musical diversificada, invadindo as ruas do Centro Histórico com muito blues, MPB, jazz, samba, choro e bossa nova. 


O palco principal ficará na Rua do Comércio, onde terá apresentações do cantor Dom Paulinho Lima (dia 9, às 19h), Abbey Road – Beatles Cover (dia 10, às 19h), e Traditional Jazz Band (dia 11, às 19h).

         
Cantor de soul e black music, Dom Paulinho foi um dos finalistas do programa The Voice Brasil em 2013. No ano seguinte, lançou o seu primeiro CD pela Universal Music.


Já apara quem curte o velho e bom rock'n roll,  Abbey Road, fará um espetáculo cênico musical,descrevendo com fidelidade toda trajetória The Beatles. Um luxo e o meu preferido.

         
Traditional Jazz Band é uma das mais consagradas do gênero e tem o objetivo de manter vivas as raízes do jazz no Brasil. Com dezenas de CDs gravados, desde 1964, a banda traz no repertório composições de grandes mestres da música.
A programação musical não para aí,  na Rua do Comércio terá também as apresentações das bandas Quizumba Latina (dia 10, às 13h) e a banda  Druidas (dia 11, às 17h).


Em outro palco, na Praça Mauá, mais música boa com Charanga de Bolso (dia 9, às 13h), Maurício Fernandes (dia 10, às 13h), Choro de Bolso (dia 11, às 13h) e Zago Art Show (dia 12, às 13h).

         
Em um terceiro palco, no Boulevard da Rua XV de Novembro, o público poderá curtir a Orquestra de Rua (dia 9, às 13h), Choro de Bolso (dia 10, às 17h), Ouro Verde (dia 11, às 13h), Kika Willcox (dia 12, ao meio-dia) e Quarteto de Cordas (dia 12, às 15h).
      

Os amantes de um bom cafezinho têm encontro marcado durante o Festival com os melhores tipos de grãos e marcas, na Rua do Comércio (ao lado frente à Casa da Frontaria Azulejada), com degustação gratuita, das 10h às 17h. Os visitantes terão a oportunidade de provar café das marcas Café Floresta, Fazenda Mantissa, Grão Gourmet, Santa Mônica e Supremo Arábica.

No dia 12, das 13h às 17h, no Boulevard da Rua XV de Novembro, um grupo de barista do Movimento Café na Rua, da capital, estará preparando a bebida com grãos especiais (100%  arábica e com receita de torra exclusiva).
O Café na Rua tem como objetivo divulgar o trabalho dos baristas e estreitar ainda mais a relação do público com o café. “Queremos que as pessoas tenha contato com os cafés de qualidade, algo que elas não estão muito acostumadas no dia a dia”, explica Luciano Salomão, um dos líderes do movimento, criado há apenas dois meses.

Para maiores informações e a programação completa do Festival: http://www.turismosantos.com.br/ ou clique aqui.

* Fotos do Museu do Café: Viviane Sartorato

        

segunda-feira, 6 de julho de 2015

E Eles Foram Felizes Para Sempre...SQN!!!!

Quem não se encantou na infância com os numerosos contos de fadas e estórias afins, que morda primeiro a maça!!!!

As meninas crescem, mas nem sempre perdem o encanto e continuam buscando a vida dos contos de fadas, mas a vida real é bem diferente, muito diferente...

Não sou a única que pensa assim, há quem não apenas pense, mas expresse suas opiniões e muita criatividade, retratando como estariam as mocinhas dos contos de fadas, as princesas da Disney, etc.

Seguindo essa linha criativa, Dina Goldstein, fotógrafa e artista visual canadense fez a sua releitura do clichê "Era uma vez... e eles foram felizes para sempre", só que não!!!

A série de fotos mostra a vida como ela é, ou melhor, seria para essas moçoilas, nada felizes, vivendo os dilemas normalmente como qualquer mortal.








As fotos são muito realistas e algumas chocantes, mas mesmo assim um belo trabalho que pode ser apreciado no site da artista Dina Goldstein.

Não tá fácil não, princesa.

* Fotos: Dina Goldstein

quinta-feira, 2 de julho de 2015

"Oi, tudo bem?"

Não sei quanto a você, mas o que tenho percebido com muita frequência é a quantidade de pessoas com as quais convivo de uma forma ou de outra e que não se pode fazer aquela clássica pergunta "Oi, tudo bem?".

Ainda não descobri uma forma de lidar com a resposta do tipo "Nossa, tô péssima, você não sabe o que tenho passado...." e outras do mesmo calibre de reclamações.

Gente, vamos combinar que "Oi, tudo bem?" é um clássico que deve ser respondido como tal: "Oi, tudo e você?", pronto, simples assim.

Isso não significa dizer que a pessoa está realmente bem, mas que seguiu a convenção social do início de conversa, sem assustar ou tirar a reação do seu interlocutor.

Não se sai contando seus problemas e agruras na primeira frase, nem mesmo para os seus amigos mais íntimos, há que se ter o mínimo de companheirismo!!!!

Depois daqueles minutinhos iniciais de blá, blá, blá, aí sim você pode compartilhar suas agruras, dores, sofrimentos e tudo o mais.

Será que é tão difícil assim entender isso? Quando você inicialmente pergunta "Oi, tudo bem?" você não está perguntando se de fato está tudo bem, mas apenas dando as boas vindas, fazendo o contato inicial, logo, não é o momento, ainda, de abrir o coração.

Confesso que tenho alguns convivas que não posso usar esse clássico, mas ainda não encontrei outra expressão para saudá-lo.

Não adianta mudar a pergunta, o ponto é exatamente esse, perguntar.

As pessoas vivem tão carentes, tão egocêntricas, tão reclamonas, só conseguem falar de si mesmas, de suas coisas, de como são assim ou assado, que as conversas acabaram, são apenas monólogos intercalados com "ah", "hum", "jura", "nossa", olhares nos celulares, foco zero.

Com isso a vida passa, não se percebe o outro, não se interessa pela vida do outro e não há uma contradição aqui.

Quero sim saber se está tudo bem com você, mas no tempo certo, na ocasião adequada, não na fila da padaria, não de forma a ser invadida por um discurso egoísta e egocêntrico de que só você têm problemas e tem o direito de reclamar.

Todos têm problemas e o seu só é maior do que o meu porque você acha que sendo seu é o suficiente. 

Não é assim que as coisas funcionam.

O critério de definição do que é problema é muito subjetivo. Por exemplo, eu que vivo de resolver problemas alheios, considero que problema de fato é só aquele que não se pode resolver.

Daqui a pouco encontro uma maneira polida e simpática de saudar, saindo do clássico "Oi, tudo bem?". Enquanto isso...vai pro muro!!!!