segunda-feira, 16 de junho de 2014

Camisa Seleção Brasil 2014

Em tempos de Copa da FIFA no Brasil somos inundados com imagens, comentários, jogos, etc. sobre o desempenho dos jogadores, dos times, as expectativas e apostas, sem falar nos famosos bolões.

Diante disso achei interessante dar um enfoque diferente sobre nossos jogadores, mais especificamente sobre o novo uniforme desenvolvido pela Nike, que confeccionou as camisas em tecido sustentável, com suave toque de algodão e a já conhecida tecnologia dry-fit, que permite a ventilação e mantém a temperatura corporal.

O caimento perfeito das camisas observado nos campos é fruto do processo de medidas personalizadas de cada jogador, que foram feitas através de scaner do tronco e dos braços de cada atleta.



Outro detalhe personalizado pode ser notado do lado esquerdo do peito, onde a camisa ganhou uma costura ouro metálico, que provoca um efeito cintilante.

Outra mudança impactante foi na gola, a antiga polo deu lugar ao padrão "Y", proporcionando acabamento perfeito à camisa e ainda mantendo o charme da abertura da camisa, já que os jogadores queriam manter a gola aberta.

Com isso a camisa da seleção brasileira ficou muito bonita, tecnológica e cheia de charme e para incrementar ainda mais a sensação de sucesso da novidades, a Nike convidou personalidades brasileiras para posarem com a nova camisa, o ensaio foi fotografado por Antoniou Platon e o resultado você vê por aí.







* Fotos: Internet

terça-feira, 10 de junho de 2014

Obsessão Infinita: Yayoi Kusama

Uma super indicação para você se programar até o dia 27 de julho/14 para ver e viver é a exposição Obsessão Infinita, da artista japonesa, Yayoi Kusama, que está acontecendo no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

Para quem ainda não conhece Yayoi Kusama, pode ser que o nome complicado para a pronúncia brasileira não te ajude a identificá-la, mas de repente se falar na princesa das bolinhas ou em polka dot você associe o nome à pessoa.

Não perca a chance de ver e participar dessa exposição, que é a primeira retrospectiva da obra da artista a ser apresentada na América Latina, passando por Buenos Aires em 2013, pelo Rio de Janeiro e Brasília, agora por São Paulo e de 25 de setembro/14 a 19 de janeiro/15 passará pelo México.

A exposição traz mais de 100 peças de 1950 a 2013, incluindo pinturas, obras em papel, esculturas, vídeos, slides e instalações onde o visitante participa da obra.

Os detalhes técnicos e de tendências da artista você pode pesquisar na internet, que não falta material, mas o importante é saber que ela nasceu no Japão em 1929, filha de industrial, mudou-se para os EUA em 1957, onde viveu a insanidade dos anos 60 e começo dos 70, voltando para o Japão em 1973 e ciente da sua fragilidade psíquica, internou-se voluntariamente em 1977 em uma instituição psiquiátrica, onde vive até hoje.

Vamos combinar que precisa ter uma lucidez impar para ter ciência e consciência da sua insanidade, ao ponto de optar por residir em uma instituição psiquiátrica. Essa é a artista Yayoi Kusama.

Por isso tudo vale a visita nessa exposição e principalmente participar dos cenários criados pela artista, a instalação onde o visitante interage com a criação e mundo das bolinhas da artista, fazendo sua obra de arte no micro cosmo da Obsessão Infinita que vive Kusama.

É fácil notar que ela tem obsessão por bolinhas, por falos, por alimentos e muitas outras características interessantes de diferentes momentos da sua carreira.

Enfim, uma excelente exposição, que nos faz refletir e nos toca profundamente ao ver a concretude da obsessão e anseios da artista em suas obras marcantes.

Abaixo alguma fotos que fiz durante minha visita, lembrando que são fotos feitas por celular!!!





Essa é a sala de espelhos com fios de bolinhas iluminadas coloridas, que mudam de cor o tempo todo, proporcionando um espetáculos aos olhos e aos demais sentidos. É a Sala de Espelhos Infinitos - Cheia de Brilho da Vida (2011).



Essas duas foram feitas na instalação das bolinhas, nome criado por mim, pois ao entrar na sala você recebe uma cartela com diferentes tamanhos e cores de bolinhas para colar onde quiser, inclusive em você mesma, mas deve ser deixada na sala todas as intervenções, com isso você participa e faz parte da obra.



Acima selfie feito na sala das bolas cor de rosa, igualmente nome criado por mim, é a sala onde ficam bolas penduradas, pintadas nas paredes e no chão, dando uma certo ar intimista à sala, permitindo ótimas fotos e selfies.



Essa é a sala mais desejada e com maior fila de visitantes, a sala dos espelhos  fechada. Você entra na sala e pode permanecer fechada lá dentro por 20 segundos, apreciando a profundidade proporcionada pelos espelhos e inundada por falos dos mais variados tamanhos e repletos de bolinhas vermelhas, completando a fase da Obsessão Sexual da artista.

Programe-se e viste essa maravilhosa exposição que fica em cartaz no Instituto Tomie Ohtake até 27 de julho/14, entrada grátis


* Fotos Viviane Sartorato
O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,sao-paulo-recebe-mostra-da-celebrada-artista-japonesa-yayoi-kusama,1169309
O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,sao-paulo-recebe-mostra-da-celebrada-artista-japonesa-yayoi-kusama,1169309
O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,sao-paulo-recebe-mostra-da-celebrada-artista-japonesa-yayoi-kusama,1169309

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Como Um Rato de Laboratório

Quem é vivo sempre aparece!!! Depois de um longo tempo sem escrever, eis me aqui novamente...

Alguém aí tem noção de como se sente um rato de laboratório, daqueles que ficam correndo dentro de uma bola ou algo do tipo?

Pois é, eu tenho, aliás concluo que a vida dessas criaturas é muito chata, uma rotina só, quase chegando a dar LER.

Antes que você me pergunte como concluí isso, pensa na cena: eu, com mais de 40, resolvi corrigir um erro do passado, fazer minha habilitação para pilotar moto!

Mulher de coragem, verdade, mulher maluca, verdade também, mulher rato de laboratório, a mais pura verdade!!!

Fazer as 15 aulas obrigatórias em um circuito fechado, repetindo "n" vezes a mesma coisa me fez pensar na vida dos ratos de laboratório, lógico, me senti um.

Fazer o quê? A vida é assim, sobrevivi às 15 aulas e ainda acabei me divertindo muito e fazendo novas amizades, as usual.

Enquanto isso o tempo voa, o frio chegou (thanks God), a Copa das Copas está aí e o meio do ano já se aproxima, daqui a pouco chega o Natal, você duvida?!

Aproveite o seu fim de semana.