terça-feira, 15 de outubro de 2013

Tendência Retrô

Cresce a tendência retrô, vintage, pin up, lady like ou coisas do tipo, em tempos onde a moda é cada vez mais fast e passageira.

A indústria da moda deu saltos astronômicos nos últimos anos, driblando as crises e gerando lucros aos grandes conglomerados da moda.

Mas nem só de grandes conglomerados vive o mundo fashion, thanks God, há muitos que começam pequenos, seguindo o caminho do empreendedorismo, chegando a alcançar postos mais elevados na cadeia alimentar do mundo da moda.

Normalmente o começo é clássico, ser estilista, desenvolver a própria marca, ser conhecido do público formador de opinião e ganhar o consumidor.

Mas não são só de flores e sonhos que esse mundo e qualquer outro negócio vivem.

Ser estilista parece ser um sonho, mas não é uma profissão que sobreviva sem as demais, que são tão importantes quanto, como por exemplo, moldistas, costureiras, bordadeiras, etc.

O glamour pode parecer estar apenas em quem se apresenta na frente das cortinas, mas é um engano que pode levar muitos à ruína.

Quem já está estabelecido no mercado há algum tempo tem a opção de seguir seu caminho solo ou fazer parcerias que permitam modelos de negócios que otimizem custos e resultados, como fez, por exemplo Alexandre Herchcovitch e muitos outros.

Vender sua marca, que muitas vezes leva o seu nome, não é coisa para fracos, é abrir mão de sua figura de identidade comercial, mas nem tudo está perdido, o nome não significa a criação.

Há quem acredite que esse modelo é o mais eficiente e permite que o estilista se dedique unicamente, ou preponderantemente apenas à criação.

Outro tentaram e perceberam que o resultado não foi o desejado.

Enfim, não é uma decisão fácil, mas é um caminho a ser analisado para crescer no mercado competitivo da moda.

Voltando ao assunto que me trouxe aqui, tendência retrô. Falar de um assunto que faz parte da vida de muita gente e empresa será bem interessante, aguarde.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!