segunda-feira, 21 de outubro de 2013

"Felicidade É Um Jeitinho Azul de Ver A Vida"

Ainda me impressiona a quantidade de pessoas que não se deram conta da brevidade da vida, que estamos aqui de passagem e que essa passagem é curta e em alguns casos curtíssima.

Não é fácil ser uma pessoa desapegada, mas é preciso buscar o desapego, entender de uma vez por todas que a vida é mais do que ter, juntar, acumular, comprar, ostentar...

Perder tempo e energia com coisas é um desperdício quando se há tanto para viver em tão pouco tempo, experiências para viver, momentos para curtir, coisas para ver, pessoas para amar...

Cada vez mais nos surpreendemos com a quantidade de pessoas ao nosso redor que se vão subtamente, que são acometidas por graves enfermidades ou engolidas pela depressão.

Enquanto isso, quem esbanja saúde se perde em devaneios de mesquinharia, não reparte o muito que tem, não sente prazer com a felicidade do seu próximo, vive na amargura do seu egoísmo, não desapega de sofrimentos passados, não se dá ao luxo de perdoar e vive encastelada em um mundo de ilusões construídas para servirem de desculpa para tudo.



Certa vez ouvi alguém dizer uma dessas frases de efeito “felicidade é um jeitinho azul de ver a vida”, adotei para a minha vida.



Felicidade é um momento, uma experiência, um suspirar, portanto, é efêmera, passa, tem fim, mas a alegria é eterna e deve estar contigo todo o tempo.


Assim como a felicidade é finita, a tristeza também é, portanto viver essa experiência, esse momento ou esse suspiro com a certeza da sua finitude é o que se tem de melhor a fazer, guardando a alegria no coração.



Em minhas orações diárias peço por sabedoria para entender, sempre e a cada dia mais, a brevidade da vida, de forma que a mesquinharia e a pequenez do espírito, da alma e do corpo se mantenham longe de mim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!