terça-feira, 30 de julho de 2013

Viajando de Moto Sem Entrar em Uma Fria


Viajar normalmente exige um certo rigor com a preparação e coisas do tipo, já que muita gente insiste em carregar a casa durante a viagem.

Com o passar do tempo e das inúmeras viagens, aprendi que é preciso ter um certo desapego ao preparar malas, pois é quase certo que levaremos muito mais coisas do que usaremos.

Agora se a viagem for de moto, aí sim o desapego deve ser total, pois o espaço para malas é restrito e não tem jeito.

A dica é pensar em levar apenas o essencial e se possível peças que você possa dispor durante o percurso, abrindo espaço para pequenas aquisições de última hora.

Como assim dispor durante o percurso? É isso mesmo, jogar fora, lixo sem dó nem piedade. Para isso sempre temos peças velhinhas no guarda roupas, pode apostar.

Outro cuidado é com produtos de higiene e beleza, utilize embalagens plásticas pequenas, mesmo que sejam adaptadas, assim você leva uma quantidade reduzida, evitando exposição às alternâncias de temperatura.

O ideal para esse tipo de situação é as amenities de hotéis, são sempre de ótimo tamanho e práticas para serem levadas em qualquer espaço.

Não esqueça do kit de primeiros socorros, com o básico, lógico, além dos seus remédios de uso constante, anti diarreico e analgésico, lembrando sempre que se você usar remédios que dependam de prescrição médica, não conseguirá compra-los sem a receita.

Documentos de identificação pessoal, plano de saúde, seguro de vida e remoção, seguro da moto e coisas do tipo não devem ficar de fora jamais.

Assim como baterias extras para celulares, certificar-se de que a bateria da máquina fotográfica está completa, adaptador universal para tomadas, carregadores de celulares, máquinas fotográficas e demais equipamentos eletrônicos essenciais.

Básico, mas muitas vezes negligenciado, atualizar o mapa do GPS para a região que visitará.

Escolha hotéis/pousadas que ofereçam um conjunto bom de amenidades (as famosas amenities), assim você não se preocupa com secador, ferro de passar roupas, sabonete, etc e tal.

Se você está achando tudo isso uma loucura, calma aí, o que mais ouço de amigas quando viajo de moto é “como você vai fazer com secador de cabelos?”.

Roupas de proteção e de frio também são peças essenciais e devem ser de boa qualidade, a fim de não transformar sua viagem em uma tortura.

Com esses cuidados básicos, mas essenciais, a sua viagem será mais tranquila, pode acreditar.

Não caia na tentação de fazer uma mochila pesada e colocar nas costas, dependendo da distância a ser percorrida, você não vai aguentar carrega-la, lembre-se você não é tartaruga para carregar casco.

Outro ponto que faz toda a diferença, preparo físico, isso significa ter uma boa sustentação de coluna, lombar e abdômen fortalecidos e pernas com musculatura em dia, pois a posição da moto exige muito de um conjunto de grupos musculares, além de muita disposição.

Em resumo, viajar de moto não é para os fracos, é preciso ter muita disposição, desapego e saber curtir a vida com todos os imprevistos sem maiores dramas.

* Foto: Gettyimages

sexta-feira, 26 de julho de 2013

70 Anos de Mick Jagger

Parabéns ao setentão mais bem humorado do rock mundial, Mick Jagger.

Minha preferida dos Rolling Stones em homenagem ao níver do vocalista:

* Vídeo: You Tube

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Dane-se a Harmonização, Vinho Bom é o Vinho que Eu Gosto!

Inverno batendo forte com o frio e o vento, a temperatura cai, a sensação térmica piora as coisas e todo mundo logo pensa em consumir comidinhas mais calóricas, quentes, acompanhadas de bebidas mais encorpadas e aí começa a encrenca.

Encrenca porque agora o mundo é globalizado e metido a besta, todo mundo é especialista em algo, os da moda são os enochatos.

Minha modesta definição para os enochatos: pessoas que foram apresentadas  aos vinhos recentemente, mas que em função do status que a bebida ganhou, têm a necessidade de se mostrarem entendidos e darem opiniões que beiram à cafonice.

Vinho bom é o vinho que eu provo e gosto, ponto. Se combina com a comida xyz, é informação desnecessária, se harmoniza com esse ou aquele tipo de carne, que se dane, bebo como e com o que eu quiser. 

Os clubes e confrarias do vinho se multiplicaram mundo a fora e aqui em terras tupininquins não é diferente, nada contra as pessoas criarem um motivo para se reunirem e partilharem da boa comida, bebida e companhia, mas daí a essa babaquice de enochatos há uma diferença absurda.

Morro de rir quando estou em  restaurante e vejo aquela compenetração digna de dor de barriga, o sujeito recebe a taça com um pouco do vinho, gira a taça, extrai o bouquet do vinho, cheira seu aroma e perfume, descobre (chuta) notas de madeira de cedro das terras do nunca, com um pouco de chocolate e frutas cítricas.

Ora essa camarada, girou a taça, a cor é de vinho, tem cheiro de vinho e gosto de vinho, pronto, experimenta e se gostar ótimo.

Coisa mais chata ficar aquele silêncio na mesa enquanto o enochato avalia o vinho que eu vou beber, se todos da mesa vão beber, pelo menos todos deveriam dar pitacos, nada mais justo.

Coisa elitista essa de provar o vinho, não é democrático, é politicamente incorreto e um porre!

Com o inverno a temporada das babaquices aumenta, aquela mulherada vestida para o encontro com papai noel no polo norte, mesmo estando muito distante de lá, já é uma coisa, mais essa de enochatos, nossa não aguento. 

Vamos deixar bem claro que não tenho nada contra vinhos, inverno, encontro de amigos e coisas do tipo, só contra gente e grupo de gente chatas.

Estou pouco me importando se o vinho harmoniza com o prato, se as notas são cítricas, frutadas, amadeiradas ou o que, vamos curtir o momento, os amigos, a companhia e não essa babaquice de criar um mundo de pose e status para impressionar não sei nem quem, porque nós daqui de casa não nos impressionamos com isso, mas confesso que rimos muito.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

O Maravilhoso Mundo dos Chás


Atendendo a pedidos, trago um pouco do maravilhoso mundo dos chás, bebida que deixou há muito tempo de ser aquela lembrança dos dias de febre da infância.

Quando criança também torcia o nariz para os chás, mas por bons motivos, conta minha mãe que eu chorei até os 3 anos de idade, ninguém merece, então fica fácil imaginar a quantidade de chá que me empurraram goela abaixo.

Por isso, até há alguns anos atrás, não podia nem sentir o cheiro de erva doce e erva cidreira.

Trauma superado!

Ao longo dos anos fui desenvolvendo o bom gosto pela bebida, já que não gosto de beber café.

Inicialmente fui descobrindo os aromas dos tradicionais chás que encontramos nas prateleiras dos mercados, bons até conhecermos um mundo novo de gostos e aromas.

O chá envolve um ritual, colocar a água para aquecer, selecionar as xícaras, acompanhamentos, arrumar a mesa, escolher a melhor opção de chá para a ocasião, sentir o aroma na água aquecida, servir o chá, aquela xícara quente e a fumacinha...

Enfim, muito gostoso preparar a cena, mesmo que seja apenas para você em uma tarde fria.

Descobrir chás é um dom, mas precisa de dedicação, olfato, feeling e, as vezes, dinheiro, porque há chás que custam bem caro, mas valem cada grama, ou melhor, cada gole.

Caso não seja adepta do ritual, minha sugestão é que comece pelo básico, descobrindo as marcas disponíveis nas prateleiras, compre primeiro os que o aroma da caixinha te agrade.

Outra dica, não adianta comprar várias caixas diferentes de chá, se você não tem o hábito de tomar, os chás são perecíveis e estragam, não acumule muito, tenha o necessário para provar alguns poucos sabores e de tempos em tempos reponha.
 
Invista em louçaria bonita aos olhos, primeiro consumimos bebidas e comidas com os olhos.

O universo de utensílios para chás é imenso, outra tentação frente as inúmeras opções que o mercado oferece, mas não exagere, vá com calma, o importante é ter uma boa chaleira ou bule, uma xícara legal e, claro, bom chá.

Depois que explorar os sabores mais comuns nas prateleiras, inspire-se a conhecer novos sabores, há poucas, mas boas lojas especializadas em chás a granel, que são perfeitas para comprar em quantidade reduzida e manter um estoque variado.

Normalmente em lojas especializadas eles servem xícara dos chás que comercializam, isso é muito bom, já que você tem a opção de experimentar o sabor que te chamou a atenção antes de comprar.

Outro ponto a se pensar, os chás a granel normalmente são chás diferenciados e importados, por isso os preços são altos, então nada de sair comprando por impulso.

Assim que você pegar gosto pelo mundo maravilhoso dos chás, recomendo que se habitue a servir chá aos amigos em suas reuniões em casa, lógico que o chá não substitui o café, mas pode ser uma alternativa ou um complemento.

Introduzir o chá ao seu círculo de amigos contribui  para a troca de experiências, assim forma-se um tipo de "clube do chá", aumentando as possibilidades de provar novos sabores.

* Fotos: Gettyimages

sábado, 20 de julho de 2013

Aquele Abraço

Falar sobre o Dia do Amigo é fácil, principalmente porque é uma data bem gostosa e já escrevi sobre isso no passado, aqui mesmo no blog, então convido você a reler ou para muitos ler o post de 2010 sobre o assunto, conhecendo um pouco mais sobre a origem   da data, clicando aqui.

Mas como amigos são raros e preciosos, sempre cabe falar um pouquinho mais sobre eles.

Confesso que sou uma pessoa que conheço muita gente, mas tenho poucos amigos, porque a qualidade é o que mais nos une, além das afinidades.

Ao longo da vida ganhamos amigos, dos quais nunca nos esquecemos, mas que por alguns desses motivos inexplicáveis acabam deixando nossa vida, mas como tudo que é bom, deixam marcas, lembranças, histórias, fotos, etc.

O bom é que alguns amigos passam pela nossa vida, mas outros chegam, se estabelecem e muitas vezes até invadem um pouco da nossa vida, porque afinal de contas, amigo em algumas situações têm mesmo mais do que o direito, mas o dever de invadir a vida da gente.

Novos laços começam, afinidades aparecem, novas histórias, fotos e quando a gente menos espera... novas marcas já estão bem ali, fazendo parte da vida da gente.

Aí por aqueles motivos inexplicáveis alguns deles se vão, deixam nossa vida, mas imprimiram sua marca, sua presença, deixaram um legado e foram viver bem longe.

Alguns chegam a agradecer ao Facebook, que nos permite encontrar os amigos e estar mais próximos mesmo que a distância física seja tão grande.

Por outro lado, as redes sociais banalizam a amizade, porque vivemos nessa sociedade do ter e quanto mais amigos você ostenta no Face, mas cool você pensa que é.

Essas ilusões da vida moderna, do mundo globalizado, que faz com que muitos acreditem que a quantidade é melhor do que a qualidade.

Mas o pior mesmo, acredito que seja aquele amigo que com o passar do tempo se torna tão seu amigo que nem percebe que passa a viver a sua vida e não a dele.

As coisas podem chegar a um ponto que você tem que intervir deletando o amigo. Coisa triste deletar um amigo, mas muitas vezes é preciso.

Mas como dia 20 de julho é Dia do Amigo, celebremos a amizade, brindemos aos amigos de toda uma vida, os atuais, os passados e os futuros, porque uma vida sem amigos é vazia.

Um super abraço apertado aos meus queridos e seletos amigos e amigas do coração.

* Foto: Gettyimages

sexta-feira, 19 de julho de 2013

17 Festa da Polenta de Santa Olímpia

Uma boa opção de entretenimento e gastronomia nesse final de semana é a 17 Festa da Polenta de Santa Olímpia, em Piracicaba/SP, que começa às 20h dessa sexta-feira, dia 19/07 e vai até domingo, dia 21/07.


A comunidade tirolesa de Santa Olímpia já é famosa pelas festas e eventos que promove com o intuito de manter viva a cultura tirolesa.

Em Santa Olímpia vivem aproximadamente 900 descendentes de tiroleses. 

Para você conhecer um pouco mais sobre esses imigrantes, segue um trecho extraído do próprio site da comunidade:

"No período do Império Austro-Húngaro, a região do Tirol, de onde são originários os emigrantes trentinos, era formado por duas Províncias: Tirol do Norte e Tirol do Sul, sendo esta última dividida entre Província de Bolzano e Província de Trento. A região trentina, incrustada nas montanhas Dolomitas, era a região tirolesa onde o idioma principal não era o alemão, mas o italiano e, ainda que em formas dialetais, sua identidade cultural fez com que, anos mais tarde, a província requeresse sua autonomia governamental. No final da I Guerra Mundial (1918), a porção sul do Tirol foi anexada à Itália, passando a ser chamada Regione Trentino-Alto Adige (na língua italiana) ou Land Trentino-Südtirol (na língua alemã); hoje formam uma região autônoma.

O Trentino estava sob domínio austríaco quando o Império Brasileiro fazia propagandas para o recrutamento de emigrantes, visando substituir o contingente de mão de obra outrora escrava. A difícil situação política e social fez com que muitas famílias tirolesas emigrassem, com o sonho de “fazer a América”. Vindas principalmente da região trentina, o Brasil instalou seus emigrantes nas regiões Sudeste e Sul principalmente; essas famílias seguiam rumo ao campo, para trabalhar nas lavouras de café."


Voltando a festa, o cardápio conta com polenta frita, assada na chapa, com molho e o famoso canéderli, regado a vinho produzido na própria comunidade, uma festa só!!!

Os organizadores do evento esperam receber 15 mil pessoas, que deverão consumir 4 toneladas de polenta, já que o acesso à Santa Olímpia está melhor, com a duplicação de aproximadamente 6 km do total de 9 km da rodovia Hermínio Petrin (SP 308), que leva à comunidade.

É bom lembrar que o bairro fica distante do centro de Piracicaba, cerca de 15 km, mas com as obras de duplicação da rodovia de acesso, a segurança melhora muito, pelo menos é o que esperam os organizadores.

A festa conta com a preciosa participação de 400 voluntários, que deixaram seus afazeres para trabalharem nos últimos detalhes do evento e a adesão ao evento é tanta, que muitas pessoas tiram férias nesse período com o intuito de colaborar com a festa, isso sim que é espírito participativo.

Para você já ir entrando no clima e se programar para a festa, segue o cardápio:

Polenta rostida: nossa conhecida polenta frita;
Brustolada: polenta assada na chapa;
Polentola: minipolenta com molhos diversos;
Cuscuz;
Cervela:  salsicha;
Linguiça campestre (bauerbratwurst);
Espagueti;
Canéderli: sopa de nhoque com pão amanhecido, trigo, frango, linguiça e temperos; Cucàgna e cràuti: repolho curtido, cozido com linguiça calabresa e bacon.

A festa começa agora, com a abertura oficial do evento, segue sábado a partir das 11h e no domingo terá uma missa às 9:30h e o almoço a partir das 11h.

O local possui estacionamento com seguro ao preço de R$ 15,00

Com a queda da temperatura o clima fica ideal para saborear essas delícias gastronômicas da 17 Festa da Polenta de Santa Olímpia.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Dia Nacional do Homem

Alguém aí sabia que hoje, 15 de julho, comemora-se no Brasil o Dia Nacional do Homem? Pois é, eu fiquei sabendo há pouco e fui pesquisar.

Descobri que o Dia do Homem foi criado em Trinidad e Tobago em 1999, por Dr. Jerome Teelucksingh, mas comemora-se no dia 19 de novembro e tomou caráter internacional, sendo comemorado na mesma data em vários países, tais como Jamaica, Austrália, Índia, Itália, Estados Unidos, Nova Zelândia, Moldávia, Haiti, Singapura, Malta, África do Sul, Gana, Hungria, Canadá, China e Reino Unido.

Já no Brasil e data é comemorada no dia 15 de julho, mas vamos ser sinceras, poucas pessoas sabem disso, não há divulgação clara e ampla como acontece com o Dia da Mulher.

De toda forma, acho interessante divulgar o propósito da data, que à semelhança do que acontece com o Dia da Mulher, foi criado para promover a saúde dos homens e a busca pela igualdade entre gêneros, destacando que homens também sofrem discriminação e enfatizando as conquistas importantes que trouxeram para a a sociedade e a família. 

Então tá, parabéns a todos os homens e em especial aos da minha vida, como pai, marido, irmão,  sogro, professores, médicos, amigos....

Lembrando sempre que os homens também merecem cuidados especiais quanto à saúde e exames de rotina, que previnem e possibilitam o precoce diagnóstico de doenças, faça a sua parte, cuide-se para continuar compartilhando com todos o bem estar.