quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Exageros e Promessas


O Natal de 2012 já passou, outro Natal só em 2016!!! É isso mesmo, sou partidária de que Natal deve ser apenas em ano bissexto, o próximo é em 2016.

Nada contra o Natal propriamente dito, mas contra a insanidade que acomete as pessoas nessa época do ano, a busca desenfreada pelas compras, por ser bonzinho com o mundo todo, esquecendo-se de como se comportou nos outros meses do ano.

Além de tudo isso, esse Natal foi um calor daqueles em terras próximas à minha casa, de derreter!!!

E a comilança? Ah, difícil passar ileso por ela, confesso que me controlo, mas sempre acaba tendo um deslize capital, fazer o que, outra dessa só em 2016.

É tema recorrente as extravagancias alimentares dessa época do ano, mas vamos combinar que o problema não é o que se come entre o Natal e o Ano Novo, mas o que se come entre o Ano Novo e o Natal.

Enfiar o pé na jaca nessa época de férias, festas e verão é normal, faz parte da vida cometer abusos gastronômicos, mas o problema é exatamente os abusos do restante do ano.

Concordo que não é nada fácil manter o controle e a disciplina alimentar, mas é preciso ao menos tentar.

Fácil falar para quem é disciplinado, para quem encara a ceia de Natal como apenas mais uma refeição entre muitas da sua vida, mas para quem não consegue assumir a compulsão e a ansiedade pode ser mais uma refeição sem limites.

Comum nessa época também revermos nossas listas de com o planejamento feito no ano passado para  ano de 2012, aquele follow up básico, ticar os itens cumpridos, os em curso, os frustrados e assim vai.

Para que servem esses planos e listas? Ora, como diz meu cronista favorito, Xico Sá, para não serem realizados, mas será que isso é tão bom assim?

Quanto assunto de crônica é fantástico, quanto realidade também encontra guarida, conheço muitas pessoas que determinadas como só elas prometem mundos e fundos para o próximo ano e depois dos 365 dias passados...outra frustração.

A natureza humana imperfeita é perfeita para não cumprir o plano, mas será que não é possível ultrapassar os 10% da justa medida?

Acredito que é possível, basta ser realista ao determinar os itens do seu plano, basta escrevê-la com a justa medida entre a razão e o coração, segredinho básico e dos mais difíceis.

A minha listinha? Vai bem, obrigada, cumprida com louvor? Não, minha natureza humana não permite, mas os itens relevantes e que fazem a diferença em minha vida foram integralmente cumpridos, boa menina!

Nada disso cara pálida, determinada menina, realista na fixação de metas, empenhada no seu alcance, realizada com o êxito, tá bom, mas o que você ganha com isso determinada menina?

That`s a good question, certamente não é um lugar no céu, mas a certeza de que faço a minha parte em busca daquilo que acredito me fazer bem, o desapego é a grande questão contraditória dessa história toda, como alimentar o desapego e mesmo assim perseguir metas pessoais?

Esse assunto fica para depois, porque promete, ano novo, nova lista de planos e metas, 40 anos chegando, enfim...terreno fértil para o vale da imperfeição humana.

Enquanto isso, vamos aguardar o calendário transcorrer os dias que faltam para 2013, o ano da serpente para os chineses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!