segunda-feira, 25 de junho de 2012

Poucas e Boas


Impressionante a velocidade do processo de impeachment do presidente paraguaio Fernando Lugo, foi quase como um piscar de olhos e pronto, presidente destituído do cargo.

Os países latino-americanos reagiram rápido, achei muito interessante a decisão de suspender o Paraguai do Mercosul, já impedindo-o de participar da próxima reunião de cúpula do bloco.

Lugo entrou com recurso na sexta-feira mesmo contra o, digamos assim, processo de sua destituição sob a alegação de inconstitucionalidade.

A Suprema Corte daquele país rejeitou o recurso, foi mais uma derrota para Lugo, que perdeu seu cargo para seu vice.

Interessante o argumento da destituição do presidente, mau desempenho, mais interessante ainda é existir previsão constitucional para destituição de presidente sob um argumento desses.

É preciso estabelecer critérios para a apuração do mau desempenho de seu cargo, além do que é imprescindível que exista um amplo processo de defesa, o que, vamos combinar, é impossível na brevidade de tempo entre o início do processo e seu fim, logo na sexta passada.

Até Hugo Chavez reagiu bravamente e cortou o fornecimento de petróleo ao Paraguai.

Fico aqui pensando como um país que não tem produção industrial, é inexpressivo no comércio internacional, que vive precariamente de uma economia pautada na revenda de produtos importados com tributação favorecida vai sobreviver diante de um isolamento, a começar, do seu próprio bloco econômico e geográfico.

Enfim, é um perigo para as democracias ainda recentes da América Latina essa atitude no Paraguai, por isso é tão importante uma reação rápida e eficiente da comunidade internacional como um todo.

Em breve teremos notícias sobre o assunto.

Enquanto isso Elize escreve carta de arrependimento por ter matado e esquartejado seu amado marido.

Não entro no mérito do arrependimento em si, porque, de fato, matar uma pessoa com tiro e esquarteja-la em sua própria residência, armazenar o de cujus em malas e simplesmente pegar o caminho da roça deve ser uma atitude tomada de ímpeto e com reflexos insuperáveis, a começar pela perda de uma vida.

Deve mesmo ser objeto de reflexão e arrependimento, inclusive acredito que esse é  o caminho natural dos fatos, arrepender-se de matar a sangue frio, mas daí a divulgar em pleno Fantástico, o show da vida, para quem se lembra do slogan do programa, é demais.

Se é uma manobra da defesa para comover a opinião pública pode ter efeito colateral, mas é um risco a se assumir, sem dúvida.

O brasileiro é rápido no gatilho das piadinhas, desculpe-me o trocadilho, já circulam pelas redes sociais e internet de um modo geral as mais diversas piadas, montagens e coisas do tipo sobre o caso do empresário rico casado com ex prostituta que é brutalmente morto por suposto crime passional.

Qual o critério para se definir o que é passional? No caso de crimes contra a vida acho que isso é mais importante ainda, mas há muito deixei o banco das aulas de penal, então os entendidos que façam suas análises.

Por mais que se sabe que o processo e o julgamento com um tribunal composto por jurados leigos seja imprescindível nos crimes contra a vida, difícil acreditar que as pessoas já não tenham sua opinião formada sobre mais esse caso de morte violenta, mas do marido, fugindo um pouco à regra.

Quanto mais se falar, mais se mostrar do caso, mais a opinião pública se forma, podendo ser um fator determinante contra a ré confessa.

Nossa, mas quanto assunto sério para uma segunda-feira só!!! Então vamos mudar o rumo dessa prosa e rápido.

Diz aí quem assistiu a estréia de Fátima Bernardes hoje? Eu confesso que não assisti porque tenho coisa mais interessante para fazer, nada pessoal Fátima, mas negar ler os comentários e críticas que já circulam abundantemente pela internet não posso.

Prometo que vou me esforçar para assistir, pelo menos um trechinho do programa para poder comentar com propriedade.

Por outro lado assisti na sexta a noite a estréia de Cartas na Mesa, no canal pago GNT e achei bem interessante e divertido, foge um pouco ao que se vê de programas na TV.

4 marmajos jogando pocker e bebendo, aproveitando para falar e dar conselhos sobre dúvidas e perguntas inusitadas da mulherada é uma coisa, no mínimo, muito engraçada.

Por enquanto o programa está com pegada, com assunto bom, com “time” e 4 caras bastante rápidos no gatilho, olha o trocadilho aí de novo, esbanjando simpatia e diversão, fica a pergunta que não quer calar, será que a mulherada está gostando tanto assim quanto eles?

Acho que por hoje já rendeu assunto demais, vou deixar para os próximos dias outros comentários.

Boa semana a todos.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Liderar Pelo Exemplo


Não sou fã da Erundina, mas tenho que admitir que ela é mais macho que muito macho!

A mulher dá entrevista na Folha a semana passada falando da sua candidatura à vice de Haddad, pisa em ovos sobre a eventual aliança que se alinhava com Maluf e depois de confirmada a parceria Lula x Maluf x Haddad ela decide corajosamente ser coerente.

Maluf (à dir.) com Haddad e Lula em sua casa em evento para selar aliança com PT

Isso é ser ético, é liderar pelo exemplo, é fazer o que se prega, desistiu de ser vice de Haddad e abandonou a candidatura.

Parabéns Erundina pela atitude ética e coerente.

Enquanto isso no reino da corrupção e política brasileira, a CPI do Cachoeira continua jorrando pizzas e falta de respeito ao cidadão, que contribui, via carga tributária excessiva, com as regalias que não desfruta, é mais do que farra com o dinheiro público, é acreditar piamente que esse país não é sério, acreditar na impunidade e em um sistema jurídico permissivo, que beneficia os que gozam do privilégio de poder contratar bons advogados.

A rede de corrupção é grande, profunda, atinge os três poderes, por mais que muitos digam que não, ninguém está livre dessa praga.

Enquanto isso a base da pirâmide populacional sofre com o descaso com o sistema de saúde, com a educação, com a segurança pública, etc., etc., etc.

O pior de tudo isso é que essa mesma base que tanto sofre com as mazelas acima, é a que elege os políticos corruptos e medíocres que infestam o Executivo e o Legislativo de municípios, estados e união!!!

Mas como dizia sabiamente Maquiavel, pão e circo, Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016 estão aí para jogar uma nuvem de fumaça sobre os problemas crônicos e distrair as massas.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

MASP Agora É Teatro...

Para quem curte vida cultural e principalmente teatro, fica a dica da novidade do MASP, em Sampa, que inicia seu projeto de aliar o teatro às suas mostras.

A estréia será com a peça "Camille e Rodin", artistas plásticos que viveram um caso de amor e tiveram suas obras impactadas pelo romance.

Os atores Melissa Vettore e Leopoldo Pacheco interpretam, respectivamente, Camille Claudel e Auguste Rodin, escultores franceses.


Leopoldo Pacheco e Melissa Vettore em cena da peça "Camille e Rodin", texto de Franz Keppler com direção de Elias Andreato

O texto de "Camille e Rodin" é de Franz Keppler com a direção de Elias Andreato, estreia nesta sexta-feira (22), com ingressos a R$ 20 ou R$ 30 e fica em cartaz no MASP Grande Auditório até  26/08/12. 

Não aceita reservas, mas vende ingressos pelo telefone e, além, de ter acesso para deficientes ainda é possível fazer visitas monitoradas. Não tem local para comer por lá, a sala tem disponibilidade para 374 pessoas e o estacionamento sai por R$ 15.

Aproveita e vai jantar em algum restaurante bacana depois da peça, o clima de romance estará no ar.

As obras de Rodin me encantam, vale a pena também fazer uma visitinha no Museu Rodin de Paris ou se preferir em Salvador, tá bom, ficou mais difícil viajar assim, mas informe-se sobre esses museus, você vai amar conhecê-los se gostar de arte, cultura, viagem...


* Foto Alexandre Catan/Divulgação

terça-feira, 19 de junho de 2012

Triste Fim de Policarpo Quaresma...


Fico um pouco chocada com as coisas que vejo por aí, confesso, acabei de ler uma matéria na Folha de SP onde conta que foi derrubado um muro de uma propriedade privada, segundo informação de morador da comunidade, apenas para que o Sr. Prefeito de Nova York pudesse ver a belezura do mar de Copacabana sem se deslocar até o alto do morro.

É o fim da picada, do muro, da vergonha na cara do poder público que mistura o público com o privado sem a menor cerimônia.

Não sei quem é pior, o Prefeito do Rio de Janeiro em autorizar tal insanidade ou o Prefeito de Nova York em receber facilidades como essa. É fácil fazer cortesia com o chapéu alheio.

E ainda dizem que o Rio de Janeiro continua lindo!!!

Ficaria menos chocada se esse tipo de coisa acontecesse apenas em terras cariocas, mas esse tipo de gentileza, ou melhor, cortesia com o chapéu alheio é muito mais comum do que se imagina.

O Brasil pode estar na moda, mas certamente porque os fashionistas não conhecem as mazelas desse povo permissivo e leniente com o público, afinal de contas em um país onde de acha linda a Lei de Gerson não poderia ser diferente.

Auto lá, poderia sim ser muito diferente se as pessoas fizessem a sua parte nos pequenos detalhes do seu dia-a-dia, mas isso demanda personalidade, determinação, inteligência e dá trabalho, então deixa pra lá.

Cada vez mais concordo com a velha máxima de que cada povo tem o governo que merece.

Uma pena que esse quadro não mudará tão cedo, mesmo em ano eleitoral, que o diga a aliança entre PT e Maluf por míseros minutos no espaço de propaganda gratuita eleitoral na TV.

Se há 20 anos você ouvisse que nas eleições de 2012 para prefeitura da cidade de São Paulo o PT buscaria aliança com Maluf, detalhe, tendo em sua chapa coo vice Erundina, você diria o que?

Seja sincera companheira, você iria no mínimo rir da falta de talento em prever o futuro da criatura. Pois é, agora pensa como estamos bem de políticos!

Esse é o maior problema, mesmo com a oportunidade de trazer inovação em ano eleitoral, não sei se há chances concretas disso acontecer com a oferta nefasta de políticos e novos candidatos a.

A literatura é sempre uma fonte de inspiração, então como escreveu Lima Barreto, “triste fim de Policarpo Quaresma”.

Será que esse país ainda tem jeito? Melhor nem tentar buscar resposta e argumento.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Histeria

Ontem peguei um trânsito daqueles, fico aqui pensando o que faz as pessoas ficarem tão histéricas em datas comemorativas como essa do dia dos namorados? Não entendo isso, todo dia é dia, inclusive dos namorados.

Em conversa de café ri muito com uns amigos que comentavam exatamente as agruras dessa data, nada mais estressante do que sair para jantar, filas em restaurantes, preços maiores, atendimento precário, o cara fica de olho na sua mesa para liberar logo espaço no salão, já que a fila lá fora está grande. Comida quente e crua, segundo meu marido, é pagar para sofrer. Concordo plenamente, é uma noite ótima para ficar no aconchego do lar.

Ah, e os shoppings e centros comerciais, quem por acaso quis comprar um presente de aniversário, por exemplo, padeceu. Filas nas lojas de chocolates, nas floriculturas então, uma lástima.

Os motéis estão em média quase 13% mais caros nesse ano, parece pouco, mas faça as contas e verá que o rombo no bolso aumenta muito, é meu caro, prazer custa caro!

Engraçado mesmo são as publicações nas redes sociais, os solteiros, principalmente as solteiras, com suas correntes, simpatias, desabafos, piadinhas, umas com mais e outras com menos humor, mas todas muito criativas, a minha preferida foi a seguinte: “Passar o dia dos namorados solteiro é o mesmo que passar o dia de finados vivo. Você não participa da comemoração mas pode ser que esteja bem melhor que muitos homenageados.”

Passada a euforia da data, o trânsito hoje cedo não melhorou muito, não apenas pelo excesso de carro, mas porque os irritadinhos do sexo masculino que aumentaram seu estoque de testosterona resolveram colocá-la para fora dirigindo.

Ah...tão meigo ver marmanjo com carro de “mano” fazendo manobras arriscadas nas estradas, mais engraçado ainda é ver marmanjos perceptivelmente desprovidos de altura em seus carrões grandes e potentes, mostrando o poder do objeto fálico que o carro se tornou.

Tenho uma tese bastante interessante sobre isso, alguns discordam, mas por motivos óbvios, o cara compra aquele carro grande, potente, que chama atenção no trânsito ou como diria a velha gíria, “de parar o trânsito”, acelera bravamente, costura entre os carros e para quê? Aparecer, mostrar sua virilidade por meio do seu brinquedinho caro, seu objeto fálico, mas por quê? Fácil, ou o cara é baixinho ou tem pênis pequeno, quando não os dois juntos.

Pare e pense, quantos grandalhões você vê se exibindo em carrões, caminhonetes gigantes e coisas do tipo? E quantos baixinhos encrenqueiros exibem seus brinquedinhos por aí? Estatística muita gente, a matemática não falha.

Tirando isso tudo, a vida é bela, é possível manter o bom humor, a diversão e a leveza, não precisamos desse stress todo.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

O Último Romântico

Amanhã é a tão famosa data do dia dos namorados, que com o passar do tempo fica cada vez mais comercial. Ainda não sei dizer se isso é uma pena ou não, mas fato é que o romantismo à moda antiga está cada vez mais ausente.

Não se fazem mais homens e mulheres românticas como antigamente!

Será que alguém já parou para estudar esse assunto? Será que é um assunto de interesse? Não sei responder, mas não deixo de pensar que o romantismo faz falta.

Com essa facilidade de e-mail, Twitter, Facebook, etc, etc...a comunicação instantânea ganhou muito, mas a pessoalidade das relações perdeu muito. O contato físico ficou nem sei em qual plano, perdeu-se o hábito de fazer a mais singela das ligações telefônicas, e olha que celular é uma praga a se propagar.

Muito embora não seja adepta de TV, percebi esses dias a quantidade de filmes e programas voltados ao dia dos namorados. Os temas centrais não poderiam deixar de ser o impacto do compromisso e a responsabilidade na vida das pessoas que intencionam uma vida em comum.

Um certo medo permeia o imaginário dos que buscam um amor, medo do que é que são elas, uma relação se constrói com a convivência, no dia-a-dia, não tem milagre.

Outro tema é o romantismo, uns de mais e outros de menos, sem um equilíbrio. Mas o que fazer quando um do par é demais e o outro de menos? Certamente um vai acabar se contagiando.

O cotidiano é um dos responsabilizados por muitos pela perda do romantismo, mas será mesmo que tem essa força toda? Não acredito, é mais o comodismo e a facilidade do que o cotidiano a minar o romantismo.


Quem hoje em dia presenteia a cara metade com flores? Poucos. Com chocolates, perfumes e joias. Outros poucos. Com jantares a meia luz então...melhor nem comentar.

Falo com propriedade sobre o assunto porque sou fria como um bloco polar, não me contagiei pelo romantismo do então namorado, ainda disposto a me carregar no colo, comprar presentes, etc e tal. Ao contrário, preguei a cartilha oposta e deu muito certo, hoje estou aqui me lembrando do romantismo de outrora e escrevendo sobre o tema como sendo uma ausência nos dias atuais.

Não acredito que uma vida de contos de fadas seja a perfeita, mas é preciso encontrar um equilíbrio saudável. Faz falta um certo ar retro de romance para revigorar as relações.

Mesmo eu, essa criatura tão chata, segundo alguns, percebo que muitas pessoas hoje sentem falta em suas relações do tom romântico, do carisma, do zelo...mais uma vez o cotidiano leva a culpa, mas será que todos têm feito a sua parte no resgate ou na manutenção da vida amorosa? Duvido muito, é muito mais fácil responsabilizar alguém ou algo e pronto, do que fazer a sua parte.

Mas vamos combinar que não adianta você que acabou de ler esse texto sair comprando presentes, é muito mais do que isso, é uma questão de vivência, de pequenos detalhes e, lógico, de um presentinho também.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Chuva e Frio

Alguém me explica o que deu nesse tempo louco? É junho, festa junina, mas essa chuvarada é de fazer qualquer um enlouquecer, ainda mais com o feriado e as mil possibilidades de curti-lo que ficaram reduzidas.

Tudo bem, o frio aproxima, faz as pessoas ficarem mais próximas, mas tá meio estranho com essa chuva toda.

Dicas do que fazer no feriado que já acabou ninguém precisa, mas de repente pode ser uma boa se você for emendar a sexta-feira dar uma passada no Mercado Municipal em Sampa, sempre tem um pastel maravilhoso te esperando, aquele lanche de mortadela, a alegria do lugar já contagia.

O MASP sempre tem coisa boa, consulte as mostras e programe uma visita. Ir ver uma boa peça nos vários teatros da cidade também é acertado.

Nada de ceder às compras, faça algo diferente, fuja do consumo desenfreado, mesmo do gastronômico, concentre suas energias em coisas produtivas.

Ah, se você curte mesmo o friozinho, boa pedida é dar uma passada em Campos ou Monte Verde, cidades típicas para o frio, quem sabe a chuva dá uma trégua e você aproveita para passear e respirar o ar das montanhas.

Seria ótimo estar na praia, tudo de bom, mas com essa chuvarada e frio o programa deixa de ser tentador e atrativo.

O dia dos namorados se aproxima, aproveita pra curtir com a cara metade, quem tem é claro!

Os cinemas também têm bons filmes, veja se encontra algum que te atraia e vá ao cinema com as amigas ou a família ou todos juntos.

Importante é estarmos com quem gostamos por prazer.