terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Irã Proíbe Venda de Boneca Barbie


A polícia da moralidade do Irã proibiu a venda de bonecas Barbies no país, sob o argumento de que as mesmas representam a cultura ocidental perniciosa aos valores morais islâmicos, pelo menos é o que informaram os proprietários de lojas de brinquedos no Irã.

Como dito no post de ontem, não importa a localização geográfica e o idioma, as pessoas sempre buscam meios criativos de se comunicarem e burlarem a repressão, no Irã não seria diferente.
Os comerciantes que ainda possuem exemplares das "bonecas perniciosas" estão deixando-os na parte de trás das vitrines, a fim de não chamarem a atenção da polícia da moralidade, outros estão cobrindo as bonecas com tecidos, de forma que suas vestimentas fiquem em conformidade com as regras impostas.

Criatividade à parte, vários comerciantes tiveram as bonecas apreendidas, sofrendo as sanções e reprimendas do regime autoritário que vive o país.

Como a criatividade é uma via de duas mãos, em 2002 uma série de bonecas foram aprovadas oficialmente, na tentativa de conter a demanda pela Barbie, mas não teve sucesso, a versão oficial foi chamada de Sara e seu parceiro Dara, usando trajes tradicionais e alinhados com as regras do Islã.

Lógico que não teve aceitação do público infantil, mesmo em países de regime autoritário a informação circula, as crianças não querem a versão oficial, querem a original Barbie, com todos os seus acessórios.
O Irã, assim como outros países que vivem em regimes autoritários, tentam há muito tempo conter a invasão da informação e dos hábitos e costumes ocidentais, que segundo eles são perniciosos à cultura do seu povo.

Em tempos de informação em tempo real, globalização e internet essa será uma batalha inglória, cedo ou tarde a cultura massificada do ocidente ao estilo norte americano invade irremediavelmente esses países.
Não há como conter indeterminadamente a vontade das massas, vejam o exemplo político recente com a Primavera Árabe, por que as forças opressoras reprimam os movimentos e ações populares, a força popular é insuperável com o passar do tempo.

A Barbie é apenas mais um exemplo de moralidade e repressão aplicadas no Irã, parece até um gesto simbólico frente às sanções econômicas impostas recentemente ao Irã, mas são contra pequenas situações que a revolta popular acontece, quando menos se espera a movimentação foge ao controle.
Concordo que devemos respeitar a opção religiosa de cada um, inclusive aceitá-la mesmo discordando, mas é difícil entender a repressão sob a desculpa da religião, as pessoas mesmo movidas pela fé são seres pensantes e com discernimento, cedo ou tarde se rebelam contra a imposição religiosa, política e moral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!