quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

É a Vida...


As vezes fico pensando que não tenho inspiração ou assunto para escrever, parece que ao acompanhar os noticiários é sempre mais do mesmo, seria apenas mais uma pessoa comentando o que já foi exaustivamente comentado, efeitos do mundo globalizado e da informação em tempo real.

Por outro lado, cada um tem uma percepção sobre os fatos, isso faz toda a diferença, pelo menos assim espero.

 
Vi coisas interessantes esses dias, achei fantástica a pesquisa sobre a invisibilidade pública, se você não viu circulando nas redes sociais a história de um estudante da USP que se infiltrou entre os garis da USP para pesquisar o tema de sua tese, dê uma zapeada e veja, fato é que muitas pessoas são invisíveis aos nossos olhos no dia-a-dia, não adianta dizer que não.

Quantas pessoas você vê diariamente, mas não nota a sua presença, não percebe e muito menos reconhece a importância da atividade desempenhada pelo sujeito, pode acreditar que são muitas pessoas. Os mais comuns nessa lista são os prestadores de serviços gerais, como limpeza, jardinagem, estacionamento, manobrista, porteiros, entre tantos outros.

 
Não são pessoas de segunda categoria, isso não existe, é puro preconceito social, são pessoas como eu e você, que desempenham funções essenciais, as quais muitos não querem fazer, mas não vivem sem.

Fui educada à moda antiga, na minha família fomos ensinados que devemos tratar todos da mesma forma, do porteiro ao presidente da empresa e levo isso comigo, mas não sou hipócrita em dizer que por isso sou melhor do que ninguém, apenas chamo a atenção para a reflexão sobre o tema.

Mudando o rumo dessa prosa, brasileiro nunca esteve tão na moda quanto nos últimos anos, provando que o mundo de fato é redondo e dá muitas voltas. Estamos em alta, sendo objeto de desejo dos norte-americanos, que anunciam o estudo de flexibilizar as regras rígidas para a obtenção de vistos para os EUA.

Até Hillary Clinton deu o ar da sua graça para bater papo com estudantes adolescentes brasileiros em intercâmbio em terras de Tio Sam, ressaltando a importância do estreitamento dos laços entre os dois países e informando que o mercado turístico busca profissionais de língua portuguesa.

Vamos combinar que não saímos da segunda categoria de pessoas para sermos os queridinhos da América à toa, lógico que não, é uma questão financeira que produz o efeito dos the best one reverem seus preconceitos sociais contra os cucarachos brasileiros, porque eles nos desejam, mas continuam não sabendo o nome da capital do Brasil.

Brasileiro tá se achando, invade os templos de consumo com muito dinheiro no bolso, disposto a combater implacavelmente a demanda reprimida por tantos anos de moeda, fraca, recessão, inflação, etc e tal. A pujança de gastos extrapola o US$, invadindo a UE, gastando horrores mesmo em Euro, esquecendo-se de que o mundo é redondo e vai dar novas voltas...

Outra muito interessante, a Ford anunciou a redução dos preços do New Fiesta, imagino como o consumidor que comprou o carro recentemente, pagando preço exorbitante deve estar feliz com essa redução anunciada.

Lamento meu caro consumidor, mas não tenho compaixão de você, brasileiro vive de reclamar que os preços de carros no Brasil são abusivos, que em relação aos EUA os preços são absurdos, que esse país é isso e aquilo, mas sejamos honestos, você conhece alguém que deixou de comprar o carro que queria porque é caro?

Pode até ser que compre outro modelo, mas não deixa de comprar o carro zero, mesmo que não precise e a pergunta que não quer calar: por quê? Ah, tipo assim, o crédito está facilitado, financiamento nunca foi tão fácil, a oferta de marcas e modelos está abundante, cai bem um carrinho zero na garagem, todo mundo gosta de andar de carro zero....

Já entendi, tá caro e vai continuar caro porque a demanda não irá cair. O consumidor brasileiro não é o dos mais espertos, não sabe usar a seu favor aquela regrinha básica de oferta e procura, então vai continuar pagando caro ou que se mude para os EUA, aproveita que brasileiro tá podendo e vai ser cucaracho por lá com um Camaro na garagem e muitas hipotecas, de repente você sentirá na pele os efeitos da tese da invisibilidade pública!!!

Que tal fazer boicote, nada de comprar carro, porque compartilhar nas redes sociais campanha de boicote ao BBB 12 todo mundo gosta, mas na hora do vamos ver neguinho não tem coragem de fazer o que é certo, todo mundo quer manter o status do desenvolvimento econômico bateu na minha porta.

Nova guinada de assunto, ontem a cidade de São Paulo completou 458 anos, um feriadinho no meio da semana sempre cai muito bem, mesmo que já se saiba de antemão que o trânsito antes e depois dele será daqueles. A programação comemorativa vai se estender até o fim de semana, tem muita coisa boa ainda por acontecer, muitos agitos baladeiros, gastronômicos, culturais, agradando gregos e troianos.

Minha sugestão para quem está a fim de sair da rotina, vá visitar a cidade que nunca dorme, mas chegue cedo para aproveitar ao máximo, uma passada rápida no Mercadão Municipal, com direito a pastel de bacalhau ou lanche de mortadela, faça uma comprinha básica na 25 de Março, visite o MASP, que está com uma excelente programação de exposições não apenas do acervo permanente, almoce em um restaurante bacana, opções não faltam do cardápio árabe ao italiano, passando pelo grego e oriental, vá caminhar no Ibirapuera ou visitar o Museu do Futebol no Pacaembu, é diversão garantida e se ainda tiver disposição, encerre a jornada com um teatro, as opções também são muito boas, ah, sempre tem espacinho para um jantar, mas não exagere!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!