terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Amo os Ogros

Hoje li o excelente texto, como sempre, do Xico Sá na Folha On Line, não deixem de ler, vale a pena e me chamou muito a atenção por vários motivos diferentes.

Primeiro que não concordo com ele que “sexo sem pelo não é sexo”, pode não ser tão agradável para uns e muito mais agradável para outros, ou vice e versa, mas continua sendo sexo.

Lógico que entendo perfeitamente os argumentos do macho-jurubeba, para ficar na linguagem do Xico Sá, inclusive acho que faz muito sentido frente a essa mania de metrossexual que parece ser um caminho sem volta. Mas me reservo ao direito de discordar.

Também não concordo que seja mais um modismo de mundo limpinho a decretar o fim dos pelos via depilação definitiva ou não. A depilação de um modo geral sempre foi um hábito entre as brasileiras, que até exportaram aos EUA seu método, fazendo a riqueza de muitas por terras de Tio Sam.

Agora a depilação pubiana total não sei se chega a ser um modismo, acho inclusive que os homens, principalmente os machos-jurubeba são os principais responsáveis por esse hábito adquirido de muitas mulheres.

Explico, não é fácil ser depilada periodicamente, ainda mais totalmente, depilação é quase um método de tortura ao qual as mulheres recorrem para aumentar o tempo sem a presença dos tão chatos pelos. Não é por prazer, é por necessidade, seja de fazer um agradinho ao amado com o fetiche da área de lazer peladinha ou de manter a área genital em melhores condições de “respiração”, evitando problemas que os machos não enfrentam, mas as mulheres conhecem bem!!!

Inventaram a tara e agora que aguentem o tranco!

A moda e o desenvolvimento tecnológico nos apresentaram muitas opções de tecidos e roupas, mas que não são mais as mesmas do tempo de nossas avós, que usavam tecido 100% algodão. A facilidade em ter roupas que não amassam tanto, que são fáceis de secar e de guardar tem um preço alto, os sintéticos não ajudam na eliminação da transpiração, provocando muito desconforto, principalmente para as suas principais usuárias, as mulheres.

Fica fácil entender porque cada vez mais mulheres aderem à depilação total, é uma questão de conforto, higiene e bem estar, além, lógico, de ainda alimentar a tara do macho-jurubeba.

A vida compartilhada exige consenso, então sejamos honestas, nada melhor do que estabelecer um acordo de vontades no início da relação, facilitando as coisas para os dois lados, prevendo as regras, as exceções, as condições, etc e tal, parece chato e trabalhoso, mas é muito mais fácil e prático do que se imagina.

Concordo com Xico quanto a essa onda metrossexual que invade o mundo, é praticamente impossível distinguir de prima se o sujeito é homem metrossexual ou homossexual, nisso os machos-jurubeba, a quem costume carinhosamente chamar de ogros, estão em vantagem sempre, ninguém os confunde, certeza total.

Já presenciei em salão de depilação metrossexual se submeter à depilação total do tórax, costas e braços, coitado, o moço sofreu horrores e ainda teve que manter a cara de macho duro na queda diante da curiosidade da mulherada, que o aguardava na recepção.

A masculinidade pode sim ser associada aos pelos no corpo, mas nem por isso se faz obrigatória a sua manutenção, cada um é que sabe de si e dos seus pelos, sejamos menos radicais e mais tolerantes.

Agora vamos combinar que nem homens nem mulheres gostam daquela selva amazônica pubiana que alguns insistem em desfilar por aí, equilíbrio é a palavra de ordem, coisa que a humanidade não está acostumada ainda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!