segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Liberdade dos Beagles Cobaias

Com certa frequência o assunto do uso de cobaias em pesquisa de laboratórios estampa as primeiras páginas dos jornais mundiais, em tempos de internet a divulgação do assunto nos sites de notícias é mais freqüente ainda.

Não sou hipócrita em defender que suspendam as pesquisas e estudos para o desenvolvimento de novos medicamentos e tratamentos, mas também não vejo o suo de cobaias com tanta naturalidade assim.

Não há dúvidas de que o assunto é espinhoso e de difícil solução. Como afirmar que drogas, tratamentos, etc são eficientes e com tais e tais efeitos colaterais sem testá-los?

Os animais de pequeno porte são os preferidos de laboratórios, os ratos são usados há tempos, os macacos, que nem sempre são de pequeno porte, também fazem parte de projetos, animais que usualmente o homem domestica são que causam maior repulsa.

Recentemente li uma matéria sobre um laboratório espanhol, salvo engano, que usava cães da raça beagle para testes, em função das características da raça, como ser dócil, amistoso e brincalhão.

No entanto os cães eram mantidos sem contato com humanos e em celas individuais, sem a presença da luz solar, em suma, eram como objetos inanimados usados para teste e descartados quando necessário.

Deve acontecer muito por aí, mas é aquela velha história, enquanto os olhos não vêem o coração não sente.

O dia chegou, o laboratório quebrou e os animais ficaram à mercê, até que por força das redes sociais, um funcionário do laboratório expôs a situação e a instituição norte americana “Educação da Mídia para o Resgate de Animais” se envolveu com o resgate dos beagles, que saíram de Barcelona e foram adotados pelo projeto em Los Angeles, EUA.






Esses animais depois de passarem a maior parte de suas vidas em celas ou jaulas individuais e contribuírem com o desenvolvimento de produtos farmacêuticos encontram um final feliz, assim espero.

Fato é que muitos outros se encontram em situação similar e sem perspectivas de um final feliz.

Há projetos que usam cobaias humanas para testar medicamentos e tratamentos, mas esses normalmente já estão em fase avançada e já assaram pelos testes em animais.

Não acredito que ser ativista da bandeira “não ao uso de animais em testes farmacêuticos” resolva a questão, mas um procedimento internacional prevendo regras de tratamento adequado a esses animais amenizaria um pouco a situação.

É duro reconhecer que a supremacia dos ditos racionais sobre os irracionais é assim. Imagine se os humanos fossem os irracionais ou menos racionais da brincadeira, seríamos nós os usados como cobaias em testes de laboratório!

Enfim, o assunto continua sendo espinhoso e não vejo perspectivas de melhora, mas vale a pena a reflexão.

* Fotos extraídas da BBC


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!