sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Etiqueta

Estou com uma preciosidade em mãos, um livro presenteado em 1917, é isso mesmo, foi dado de presente para a querida avó de um amigo no ano de 1917, não consta a data da edição, mas por si só já é uma raridade, agora o assunto é campeão: etiqueta.

Assunto que parece fútil, mas ainda é muito útil, ainda mais com a chegada do verão, onde as pessoas aproveitam do clima quente e abusam nas vestimentas, comportamentos, etc.

Então, para descontrair e resgatar alguns conceitos ainda atuais, mas que muitos não observam, vou transcrever, comentando, algumas partes do pequeno livro de autoria de Felix Scarpardini, entitulado Manual D’Etiqueta ou Arte de Saber Viver, de capa dura vermelha que adorei ler.

Toilettes Das Senhoras – A profusão de riquezas não basta para constituir a verdadeira elegância; é necessário um conjunto harmonioso, cujos elementos são de uma grande complexidade. Nada mais atual e verdadeiro, lógico o conceito de elegância é atemporal.

A primeira das toilettes é o aceio. O do corpo consiste em tomar banho, senão todos os dias, pelo menos uma vez por semana; vamos lembrar que o livro foi escrito em meados do século 20, na Europa, para servir de guia para as famílias abastadas da época, então vamos aumentar essa freqüência de banhos, por favor; em lavar-se todos os dias; em lavar os dentes, os ouvidos e cuidar das unhas todas as manhãs, não desprezando os fáceis e econômicos meios de manicuro; em lavar a boca de cada vez que se coma, evitando quanto possível o mau hálito.

Uma mulher mal penteada tem sempre um ar insuportável; tratem pois, minhas senhoras, de arranjar o cabelo logo pela manhã ou de ocultá-los, sob uma touca arrendada, duma grande simplicidade. Essa parte da simplicidade é fantástica, devíamos prestar mais atenção à simplicidade.

Para cheirar bem é preciso não cheirar a nada, é uma fórmula que convém não esquecer.

Por conseguinte nunca se perfumem ou usem um perfume tenuissimo, mal perceptível, deixando ás mulheres galantes esse meio de se fazer notar. Nada de exagerar na dose de perfume, lembre-se você deve chegar antes do seu perfume.

Os perfumes além disso passaram inteiramente de moda na boa sociedade. Com a indústria da moda, o perfume voltou a ser objeto de desejo e status, mas vale o cuidado de não exagerar na dose.

Evitem do mesmo modo quanto possam o imoderado uso do pó de arroz, que apenas serve para dar um tom ridículo e quiçá grosseiro. Se fosse só de pó de arroz estava bom, mas a mulherada, inclusive muitas senhoras, estão exagerando em todo o uso de maquiagem, o olho de panda então é uma coisa para lá de ridícula!

Evitem, minhas senhoras, a profusão de bijoux, correntes, berloques ou outras bagatelas e bugiarias dourados, que facilmente se tomam por falsas, quando em abundância. Olha aí o excesso de novo gente!!!!! Maneirar na peruísse ajuda. Um relógio e um lorgnon – quando muito – é mais que suficiente. Pode ter um pouquinho mais, mas só um pouco.

A divisa da mulher de bom tom – nunca a esqueçam! – deve ser esta: bom gosto e simplicidade, o que de maneira nenhuma exclue a elegância. Fechando com chave de ouro, nada mais a acrescentar!!!!

Depois vou compartilhando com vocês mais trechos do livrinho atual do meu amigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!