quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Casos Famosos de Violência Contra a Mulher



"A mulher foi feita da costela do homem, não dos pés para ser pisada, nem da cabeça para ser superior, mas sim do lado para ser igual, debaixo do braço para ser protegida e do lado do coração para ser amada."



Esta famosa passagem é conhecida por ser de Maomé e representa uma profundidade tamanha, da qual muitos homens e mulheres não são capazes de entender e compreender. Por isso há tantos anos a história da humanidade presencia casos de violência extrema contra as mulheres.

A seguir elencamos alguns dos mais famosos casos de violência contra a mulher, são casos que se tornaram ilustres por serem suas vítimas ou executores pessoas de reconhecimento, mas é sempre bom lembrarmos quantos outros existem de ilustres anônimos, que não chegam à mídia e se chegam, muitas vezes são esquecidos rapidamente.

O importante é mantermos acesa a chama da justiça e dos valores morais e éticos que deveriam permear as sociedades, não só no que diz respeito à violência contra a mulher, mas sobre qualquer tipo de violência.





Daniella Perez
A atriz é filha da autora de telenovelas Glória Perez e aos 22 anos foi brutalmente assassinada pelo seu colega de trabalho, o ex-ator Guilherme de Pádua, 23 anos à época, e sua esposa Paula Nogueira Thomaz, 19 anos à época, que estava grávida.  Daniella morreu no dia 28 de dezembro de 1992 e à época era casada com o ator Raul Gazzola.

Os assassinos foram condenados a 19 anos, dos quais cumpriram em prisão 6 anos e estão em liberdade condiconal desde 1999.

















Sandra Gomide
A jornalista foi encontrada morta com um tiro na cabeça e outro nas costas em  20 agosto de 2000, a jornalista Sandra Gomide. Na época Sandra namorava o também jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves.

Pimenta Neves teve a prisão decretada no dia seguinte e acabou confessando o crime. O motivo do assassinato teria sido o fim do relacionamento entre os dois. Ele foi condenado a 19 anos de prisão, pena que foi redudiza para 15 anos, mas por não representar perigo à sociedade o STF confirmou o habeas corpus que revogou a prisão preventiva do jornalista decretada na época do crime.















Mércia Nakashima

Em 23 de maio de 2010 a advogada Mércia Nakashima, de 28 anos, desapareceu após deixar a casa da avó, por volta das 18h30, em Guarulhos.

Seu corpo foi encontrado em uma represa na região de Nazaré Paulista(SP), os mergulhadores do corpo de bombeiros, após denúncia, encontraram também seu carro submerso na mesma represa. O caso continua sendo investigado, mas os indícios e evidências apontam como assassino Mizael Bispo de Souza, ex-namorado da advogada.



  Patricia Aggio Longo





Patrícia Aggio Longo foi assassinada com dois tiros na cabeça pelo marido, o promotor Igor Ferreira da Silva´, quando estava grávida de sete meses.



Igor foi condenado a 16 anos pela morte de Patrícia e da criança, mas o motivo do crime até hoje é um mistério. Igor está foragido. Um teste de DNA mostrou que o bebê que Patrícia esperava não era do promotor.

Mesmo com as evidências, os pais, irmãos e familiares de Patrícia apoiaram o réu no processo e insistem em sua inocência.







  Eliana de Grammont



Seus ex-marido, Lindomar Castilho alvejou-a no peito com tiros em 1981 no bar Belle Époque, em São Paulo. Segundo relatos de Carlos Roberto Silva, parceiro musical de Eliana e primo do assassino, Lindomar estava a quase 2 metros de distância dela quando atirou, Carlos também foi atingido com um tiro na barriga, mas mesmo assim ainda acompanhou a cantora até o hospital, onde ela já chegou morta.

O assassino foi condenado a 12 anos e cumpriu parte da pena em liberdade.

Com mais de 60 anos, Lindomar conta o que aprendeu: “No momento de desespero não conte até dez. Conte até dez bilhões e, depois, vá até a praia contar grão por grão de areia.”

Poderíamos continuar essa trágica lista com muitos outros casos de violência que geraram a morte de muitas mulheres, mas não se faz necessário, pois ainda hoje ouvimos e acompanhamos com frequência os desdobramentos de casos como o da advogada Mércia e de Eliza, que não incluimos na listagem, já que o corpo ainda não foi localizado.

Triste estatística, mas demonstra a dura realidade, que mesmo hoje com tantos avanços ainda vivemos em sociedades e culturas que não respeitam os direitos de mulheres, crianças, adolescentes e idosos.

Faça parte da mudança, faça a sua parte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!!